PROGRAMA DE APOIO AO BEBÉ PREMATURO

Os bebés prematuros ou com muito baixo peso ao nascer enfrentam um significativo conjunto de problemas durante a fase perinatal. Por este motivo, são considerados bebés em situação de risco biológico, pela sua maior vulnerabilidade a apresentarem posteriormente problemas ao nível do desenvolvimento psicomotor.
Considerando a importância de um adequado acompanhamento de todas as alterações que surgem no decurso do processo de desenvolvimento nos primeiros anos de vida de qualquer bebé, é de salientar a relevância de um apoio ainda mais sistemático e, se necessário especializado, no caso de crianças que pelos mais variados motivos se encontram em situação de risco.
Sendo a prematuridade uma população considerada de risco, têm surgido novas metodologias de intervenção na área do desenvolvimento infantil. É neste contexto que se insere o Programa de Apoio ao Bebé Prematuro, um projecto elaborado pela equipa do Centro de Desenvolvimento Infantil – ESTIMULOPRAXIS, que procura salientar a importância de um acompanhamento o mais precoce possível, de forma a responder às necessidades especificas do bebé prematuro e respectiva família. O Programa de Apoio ao Bebé Prematuro pretende dar resposta a nível nacional, de acordo com a disponibilidade e recursos de cada família.
A equipa do Programa de Apoio ao Bebé Prematuro é constituída por uma equipa multidisciplinar especializada em desenvolvimento infantil nas diferentes áreas, Pediatria, Pediatria de Desenvolvimento, Psicologia, Reabilitação Psicomotora, Terapia da Fala e Consultadoria Cientifica.

O Programa está estruturado de forma a que, após o contacto realizado pelos pais, seja marcada a primeira consulta de Pediatria de Desenvolvimento, na a qual estará presente a pediatra e outro elemento da equipa. Após a avaliação de Desenvolvimento é determinado qual a melhor resposta a dar à criança e sua família.
Sempre que necessário será realizado um plano de intervenção individualizado

Este projecto apresenta quatro objectivos principais, sendo eles:
• Melhorar o nível de adaptação da família à situação de existência de uma criança prematura;
•  Promover o envolvimento activo dos pais no processo pedagógico- terapêutico do seu filho/ Melhorar as competências parentais;
•  Promover o desenvolvimento global da criança;
• Realizar o acompanhamento da criança através da realização de avaliações do desenvolvimento de seis em seis meses.

Para melhorar o nível de adaptação da família à situação de existência de uma criança prematura recorrer-se-á à aplicação de questionários como meio de recolha de informação inicial (e.g. Inventário de necessidades da criança e família, Inventário dos apoios a nível comunitário, entre outros). Para além disso, ter-se-á em consideração toda a legislação vigente de apoio à família.

No sentido de promover o envolvimento activo dos pais no processo pedagógico- terapêutico do seu filho, ter-se-á como objectivo, em primeiro lugar, perceber a dinâmica de interacção pais – filhos e, posteriormente, maximizar essa interacção. Além disso, outra das finalidades será ajudar a organizar o envolvimento, tornando-o mais ajustável e promotor do desenvolvimento da criança.

Promover o desenvolvimento global da criança, envolverá a realização de uma caracterização da mesma; a percepção clara, por parte dos técnicos do desenvolvimento da criança prematura; a promoção de actividades que maximizem as cinco áreas do desenvolvimento infantil: Motricidade Global; Motricidade Fina; Cognição; Comunicação e Linguagem; e Autonomia Pessoal e Social. Será também importante envolver a participação dos pais, tornando-os parceiros no processo de intervenção, através da integração dos objectivos pedagógico-terapêuticos nas actividades de rotina da criança.

Por último, de 6 em 6 meses, a criança deverá realizar uma avaliação formal de desenvolvimento de forma a poder ser observada a sua evolução.

Paralelamente à execução destes objectivos, será efectuada formação parental no âmbito de diversas temáticas, como: Caracterização do Bebé Prematuro; Desenvolvimento Psicomotor nos primeiros meses de vida; Sinais de Alerta; Estimulação do Desenvolvimento no decorrer das Rotinas Diárias: Envolvimento Adequado (brinquedos e actividades); Comportamentos promotores do Desenvolvimento Comunicativo e Linguístico; Estratégias para a Alimentação; Massagem para Bebés, entre outras.

É ainda importante realçar o grupo de ajuda mútua que é constituído por pais de bebés prematuros, esperando-se com esta iniciativa a partilha de experiências e expectativas.

Dra Sandra Antunes
Tec. Sup. De Ed. Esp. e Reabilitação/ Psicomotricista

Esta entrada foi publicada em Sem categoria. ligação permanente.

Os comentários estão fechados